quinta-feira, 20 de junho de 2013

Terapia sexual com Mestre Urso #1

Quem acompanha o "Oi, qué tc" sabe que é um blog mais pra escrito que de imagem. Tem putaria. Tem coisa seria. E mais que tudo tem literatura por inspiração. Vamos a mais uma loucura deste blog...




A "passividade" é sempre vista como uma posição humilhante no sexo, tanto hétero quanto homo. Mas sem uma pegada forte não há a menor graça em dar o cu. 

Alguns podem achar que vou falar a merda jamais falada, mas, caro leitor, acredito que existem horas que precisamos sentirmos como que "humilhados", não me entendam mal... Mas quando perdemos algo que nos é essencial lutamos para recuperar... é como perder o ar e lutar pra recuperar.

Acredito que esse processo está refletido no sexo mais que em qualquer outro processo de forma que cada um reage de um jeito depois de uma gozada.

Tem gente que depois que goza a última coisa que quer e tocar no parceiro, quer mesmo vestir a roupa, virar pro lado e dormir. Por contra partida, tem gente que quer mais que come a porra, chupa mais o pau, beija mais...

Quem nunca teve uma foda histórica de perder o folego e que parecia ter perdido também a dignidade e se sentiu bem por isso? Mesmo parecendo estar se comportando como uma animal.

Depois que a gente goza em uma punheta crucial para relaxamento dos músculos e da mente vem aquele sentimentozinho de arrependimento, junto com uma ofegação que liberta o corpo, como se tivesse soltado uma sujeira, algo preso que incomodava. Um processo rápido logo depois do gozo, uma queda de moral.

Para entender melhor o que eu digo sugiro uma experiência: 

Vá ao extube, pornhub, soloboys e afins e selecione o vídeo mais escroto, mais tesão, mais excitante a seu ver. 

Deixe uma música da Marisa Monte em "pausa", selecione aquela mais inspiradora, mais dolorida, mais musical. (pode ficar a vontade para escolher outros interpretes).

Assista todo o seu vídeo preferido que foi selecionado previamente e goze junto com os atores ou no ápice do vídeo a seu ver.

Assim que gozar de o play na música que escolhida e continue assistindo o vídeo ou volte ao começo...

A sensação extrema... tão extrema que não tenho palavras para descrever.

Um vídeo que perde o gosto, uma música que te tira os sentimentos mais profundos. 

Acredito que se você fizer essa experiência perceberá muitas coisas sobre o sexo e necessidade dele ou simplesmente nada.... Mas se fizer e quiser pode compartilhar nos comentários se deu certo. E até a próxima sessão de terapia.



Outros posts que você poderá gostar:


#Aprendendo a fazer sexo com o Mestre Urso




2 comentários:

tuballkain Del Paraíso disse...

Gostei muito deste post, pois ele reflete bem a situação de muitos homossexuais, incluindo moi em um passado não muito distante, mas creio que tamanha ressaca moral depois do sexo tenha suas raízes no fato das pessoas ainda não se aceitarem como os gays que são e o que é pior, muitos tentam preencher o vazio emocional que sentem através do êxtase do orgasmo que só duram algum poucos segundos e que não é capais de nos fazer sentirmos seres humanos completos. Quando passa a sensação de prazer até olhamos o nosso parceiro com um pouco de raiva, já que ele se torna meio que um espelho do que tentamos fugir através do orgasmo.
Por sorte existe a situação inversa, das pessoas que fazem sexo por que se amam, fazendo com ele seja um complemento do carinho que um tem pelo outro.

Cristian Boomer disse...

será que sou puto demais? porque eu nao vejo um vídeo dessa maneira depois que eu gozo, nem mesmo com uma música menos acelerada e tbm nao sinto nenhum arrependimento.